Custo de armazenamento em baterias deve cair entre 50% e 60% até 2030

Projeção da Irena é que custo fique abaixo de US$ 200/kWh, chegando a US$ 70/kWh a depender da tecnologia

[11.10.2017] 18h29m / Por Lívia Neves

Até 2030, o custo de instalação dos sistemas de armazenamento em baterias deve cair entre 50% e 60%, estima a Agência Internacional de Energia (Irena, na sigla em inglês), para menos de US$ 200/kWh. No caso de baterias de chumbo-ácido, esse custo de instalação pode chegar a 70/kWh. Com essa queda de custos, os sistemas de baterias devem acumular aproximadamente 175 GW no horizonte projetado, dos atuais 2 GW instalados globalmente. A tecnologia passará a rivalizar com as hidrelétricas reversíveis, que devem atingir, até 2030, uma capacidade de 235 GW, e atualmente representam 96% da capacidade instalada de armazenamento no mundo.

Em estudo recém publicado, a agência avalia que, assim como ocorreu com os painéis solares há uma década, os sistemas de armazenamento de energia em baterias representam um enorme potencial de desenvolvimento e redução de custos.

O tempo de vida útil e o desempenho das baterias também devem continuar melhorando, o que contribui para essa redução de custos. O aprimoramento da operação de fábricas e uma melhor combinação e redução de uso dos materiais devem contribuir. A Irena estima que a densidade de energia das baterias, que em 2016 ficava pouco acima de 200 watt-hora por litro (Wh/l), deve chegar a 620 wh/l até 2030, atingindo até 735 wh/l nos melhores casos.

O armazenamento de energia em baterias é uma tecnologia crítica para transição global para um sistema de energia sustentável. Isto porque os sistemas de baterias podem dar fornecer uma série de serviços necessários para esta transição, como viabilizar repostas às variações de freqüência na rede, fazer reserva de capacidade, armazenar energia em veículos elétricos, aprimorar o funcionamento das microrredes e de sistemas de microgeração distribuída. No longo prazo, as baterias podem dar suporte para níveis mais elevados de participação das fontes renováveis variáveis.